23/02/2013

Chegamos finalmente à categoria das categorias: Melhor Filme, que analisa os vários elementos que fazem parte de uma obra cinematográfica, como o trabalho de realização, dos actores, fotografia, banda-sonora, etc. Nesta edição dos Oscars são 9 os nomeados, com as previsões para a vitória a dividirem-se sobretudo entre Argo e Lincoln.

Eis os nomeados:
Amor
Neste filme, Michael Haneke conta a história de um casal octogenário que sofre com a doença e solidão. Os produtores da obra são Margaret Menegoz, Veit Heiduschka e Michael Katz, que recebem a sua primeira nomeação para um Oscar. Amor tem sido um êxito, tendo ganhado vários prémios em diferentes categorias, como nos BAFTA, Césares, Cannes (onde ganhou a Palma de Ouro) e Globos de Ouro. Além disso, está nomeado para um total de 5 Oscars, incluindo Melhor Filme Estrangeiro (crítica aqui).
Emmanuelle Riva em Amor. Foto: Out Now.

Argo
O enredo de Argo tem lugar no início da década de 1980, abordando o repatriamento de seis norte-americanos que trabalhavam na embaixada do país no Irão e que necessitavam de sair de lá o mais rápido possível. Grant Heslov, Ben Affleck e George Clooney foram os produtores da obra, todos já nomeados pela Academia anteriormente, mas em categorias díspares. Ora, Grant Heslov está nomeado pela quarta vez, após Boa Noite, e Boa Sorte (2005), em que estava nomeado para Melhor Argumento Original e Melhor Filme, e Nos Idos de Março (2011), no qual recebeu a nomeação para Melhor Argumento Adaptado. Ben Affleck está nomeado pela segunda vez na carreira, após ter ganhado o Oscar pelo filme O Bom Rebelde (1997), em parceria com Matt Damon. Já George Clooney recebe a sua oitava nomeação, tendo vencido uma única vez, na categoria de Melhor Actor Secundário, em Syriana (2005). Argo tem sido muitíssimo premiado, em diferentes categorias, como aconteceu nos BAFTA, Globos de OuroSAG AwardsArgo concorre a 7 Oscars (crítica aqui).
Ben Affleck em Argo. Foto: Beyond Hollywood.

Bestas do Sul Selvagem
A história de sobrevivência de Hushpuppy numa aldeia inundada do Louisana é o mote para Bestas do Sul Selvagem. A produção da obra esteve a cargo de Dan Janvey, Josh Penn e Michael Gottwald, todos estreantes nestas andanças. Bestas do Sul Selvagem é um dos filmes sensação da temporada de prémios, tendo arrecadado galardões em Cannes e Sundance, além das 4 nomeações que contabiliza para esta edição dos Oscars (crítica aqui).
Quvenzhané Wallis em Bestas do Sul Selvagem. Foto: Out Now.

Django Libertado
A nova obra de Quentin Tarantino passa-se no século XIX, quando a escravatura ainda era prática comum, tendo Django como protagonista, um escravo negro que busca a liberdade. Os produtores do filme foram Reginald Hudlin e Pilar Savone (nomeados pela primeira vez), além de Stacey Sher, que recebe a sua segunda nomeação, após Erin Brockovich (2000) (também na categoria de Melhor Filme). Django Libertado tem estado envolto em muitas polémicas, sobretudo devido às cenas de violência e ao modo como a escravatura é retratada. Ainda assim, não deixa de ser agraciado com diferentes prémios, tais como BAFTA ou Globos de Ouro. Além disso, está nomeado para um total de 5 Oscars, incluindo Melhor Argumento Original e Melhor Actor Secundário (crítica aqui).
Christoph Waltz e Jamie Foxx em Django Libertado. Foto:  Beyond Hollywood.

A Vida de Pi
O drama pleno de fantasia, que ganhou muito por ser em 3D, tem como protagonista Pi, um jovem indiano sobrevivente a um naufrágio, juntamente com um tigre. A produção da obra teve como responsáveis Gil Netter, David Womark e Ang Lee. Womark está nomeado pela primeira vez, enquanto Netter recebe a sua segunda nomeação, após Um Sonho Possível (2009). Ang Lee (também nomeado nesta edição para Melhor Realizador) recebe agora a sua quinta nomeação, após O Tigre e o Dragão (2000) e O Segredo de Brokeback Mountain (2005), pelo qual ganhou a estatueta na categoria de Melhor Realizador. Além de estar nomeado para 11 Oscars, A Vida de Pi já arrecadou prémios nos BAFTA, Globos de Ouro, entre muitos outros (crítica aqui).
Suraj Sharma em A Vida de Pi. Foto: Kinobank.org.

Lincoln
O filme de época retrata os últimos meses da vida do décimo-sexto Presidente dos EUA, Abraham Lincoln, e a aprovação da 13ª Emenda, uma das mais importantes da História do país. Os produtores da obra foram Steven Spielberg e Kathleen Kennedy, uma parceria já bem conhecida dos Oscars, já que receberam várias nomeações em comum. No total, Kennedy recebe agora a sua oitava nomeação e Spielberg é nomeado pela 15ª vez (recorde-se que também está nomeado para Melhor Realizador). Lincoln demorou mais de 10 anos a sair do papel. Spielberg vestia-se a rigor para as gravações, mesmo estando atrás das câmaras, para sentir-se dentro do ambiente do filme. São já alguns os prémios que Lincoln tem contado, tais como nos BAFTA, Globos de Ouro, SAG Awards, entre outros. O mais comum é entregue a Melhor Actor, para Daniel Day-Lewis. Lincoln está nomeado para 12 Oscars (crítica aqui).
Daniel Day-Lewis em Lincoln. Foto: Beyond Hollywood.

Guia para um Final Feliz
A comédia dramática tem como par romântico um jovem bipolar e uma recém-viúva com alguns problemas psiquiátricos. A produção da obra tem assinatura de Donna Gigliotti, Bruce Cohen e Jonathan Gordon. Gigliotti está nomeado pela terceira vez, após A Paixão de Shakespeare (1998), pelo qual venceu a estatueta, e O Leitor (2008), ambos na categoria de Melhor Filme. Bruce Cohen também recebe a terceira nomeação, mas pelo trabalho em Beleza Americana (1999) e Milk (2008). Já Gordon está nomeado pela primeira vez. Desde Reds (1981), que nenhum filme era nomeado nas quatro categorias de performance artística (Melhor Actor, Melhor Actriz, Melhor Actor Secundário e Melhor Actriz Secundária). David O. Russell já confessou que, enquanto escrevia o guião, tinha em mente os actores Zooey Deschanel e Vince Vaughn e não Jennifer Lawrence e Bradley Cooper, como acabou por acontecer. Guia para um Final Feliz reúne um total de 8 nomeações, tendo saído vitorioso nos BAFTA, Globos de Ouro, SAG Awards, entre outros (crítica aqui).
Jennifer Lawrence e Bradley Cooper em Guia para um Final Feliz. Foto: Kinobank.org.

00:30 A Hora Negra
O filme narra a história da perseguição ao homem mais procurado do mundo, Osama Bin Laden. Os produtores da obra foram Mark Boal, Kathryn Bigelow e Megan Ellison (a única que recebe a primeira nomeação). Bigelow já vai na terceira, após Estado de Guerra (2008), nas categorias de Melhor Filme e Melhor Realizador (tendo vencido em ambas). Mark Boal também esteve nomeado pelo mesmo filme, mas para Melhor Filme e Melhor Argumento Original (em que também venceu), tendo recebido também a nomeação para 00:30 A Hora Negra na categoria de Melhor Argumento Original  Aliás, o argumento da obra foi reescrito após a morte de Bin Laden, alterando os desígnios iniciais do filme. Inicialmente, seria James Cameron (ex-marido de Bigelow) a realizar o filme, mas acabou por declinar para assumir a realização de Avatar (2009). 00:30 A Hora Negra concorre a 5 Oscars, tendo vencido nos Globos de Ouro, entre outros prémios (crítica aqui).
Jessica Chastain em 00:30 A Hora Negra. Foto: Beyond Hollywood.

Os Miseráveis
A história de Os Miseráveis retrata um pouco da França do séc. XIX, tendo como protagonistas os pobres e oprimidos, que vivem miseravelmente, tentando lutar contra o poder imposto. Na produção da obra, estiveram Debra Hayward e Cameron Mackintosh, nomeados pela primeira vez; além de Tim Bevan e Eric Fellner, que já estiveram nomeados anteriormente, pelo trabalho em Elizabeth (1998) e Expiação (2007). Fellner recebeu também a nomeação na categoria de Melhor Filme por Frost/Nixon (2008). Desde Chicago (2002), que um musical não estava nomeado para o Oscar de Melhor Filme. O realizador de Os Miseráveis foi Tom Hooper, que exigiu que todos os actores cantassem ao vivo e não em playback, como costuma acontecer na gravação de musicais. O filme ganhou vários prémios em diferentes categorias: BAFTA, Globos de Ouro, SAG Awards, entre outros. Tem sido, sobretudo, bem sucedido na categoria de Melhor Actriz Secundária, com Anne Hathaway a destronar a concorrência. Os Miseráveis tem um total de 8 nomeações (crítica aqui).
Os Miseráveis. Foto: Kinobank.org.

0 comentários:

Enviar um comentário